ONG feminista há 20 anos na defesa dos direitos das mulheres

PLP 2.0

O Brasil tem um dos mais elevados registros de violência contra as mulheres no mundo . Na última década, 43,5 mil mulheres foram mortas, 4.500 por ano , 12,5 por dia , resultando em uma morte de mulheres todos os outros horas no país como resultado da violência doméstica e sexual. Em 2006, a Lei Maria da Penha , uma nova legislação adoptada para combater a violência contra as mulheres , tem prestado apoio jurídico para estabelecer políticas públicas inovadoras nas áreas de polícia e os serviços judiciais a nível nacional.

O aplicativo PLP 2.0 é um instrumento para auxiliar mulheres em situação de violência doméstica, familiar ou sexual. Integrado a uma rede de suporte, cadastra cinco pessoas de confiança que podem atender caso o dispositivo seja disparado.

O projeto ganhou o Prêmio Desafio de Impacto Social Google 2014. É uma parceria da THEMIS Gênero e Justiça com o Geledés Instituto da Mulher Negra de São Paulo. As mulheres usuárias do aplicativo possuem medida protetiva de urgência e são escolhidas pela juíza da Vara de Violência Doméstica conforme o maior grau de vulnerabilidade a que estão expostas. O botão do pânico do app PLP 2.0 aciona a polícia militar e envia um aviso às Promotoras Legais Populares (PLPs) que vivem no mesmo bairro. As PLPs são lideranças comunitárias que participaram de cursos de formação sobre os direitos das mulheres e são capazes de compartilhar informação e apoio às vítimas de violência doméstica e sexual.

Confira no site: www.plp20.org.br