ONG feminista há 20 anos na defesa dos direitos das mulheres

A Promotora Legal Popular Marli Medeiros ganha prêmio em Porto Alegre

A Themis parabeniza a Promotora Legal Popular Marli Medeiros pela merecida premiação no Donna Mulheres que Inspiram 2017!

Ficamos felizes que uma mulher negra e da periferia tenha sido premiada pelo seu trabalho cotidiano em defesa de outras mulheres.

Parabéns, Marli 

 

 

Via Zero Hora

Marli Medeiros

Com o Ensino Fundamental e três filhos debaixo do braço, Marli Medeiros saiu do Alegrete rumo a Porto Alegre em 1975 para ela e o marido trabalharem como zeladores no Bom Fim. Não demorou para Marli transformar o lugar em casa de passagem e, um a um, trazer os parentes da fronteira para a Vila Pinto, que passava por um programa de habitação popular na década de 1980.

– As mulheres me diziam: “Isso aqui é uma ‘desgraceira’, não tem água, não tem rua, só tem bandido”. Eu só via que eu tinha chegado do Centro à vila em 25 minutos. Uma oportunidade espetacular. Era como se aquelas mulheres encarassem morar ali como uma punição merecida por terem dado errado na vida. Eu dizia: “Bem, se vocês merecem morar mal, os filhos de vocês não merecem” – conta Marli, que se tornaria instintivamente uma líder comunitária.

Por anos, comandou reuniões semanais entre mulheres que eram fiscalizadas de perto por traficantes. A estratégia para afastá-los era falar sobre temas como menstruação ou “placenta colada” até que saíssem constrangidos. Só então temas como violência doméstica vinham à tona. A grande oportunidade para a comunidade viria depois de Marli realizar um curso da ONG Themis, que fez dela promotora legal popular.

– Mandei fazer um cartaz bem grande para colocar na frente da minha casa e todo mundo ver: “Parabéns, Marli, nossa promotora legal popular” – contou, divertida, no evento que a anunciou como uma das três vencedoras.

O cargo a colocou em um ônibus com as 30 grandes pensadoras da questão da mulher no Brasil para um encontro na Argentina, em 1995. Na volta, elas surpreenderam o então prefeito com o projeto do Centro de Educação Ambiental da Vila Pinto, pioneiro na questão da reciclagem como alternativa de renda, e uma obstinada Marli para fazê-lo tirar do papel antes das eleições do ano seguinte.

– Preciso procurar a felicidade sempre e todos os dias porque lido com muitas pessoas tristes. Levei para pessoas que se consideravam o lixo da sociedade a possibilidade de ver valor no lixo, a possibilidade de se reinventarem no mundo – disse no evento do Prêmio Donna.

 


Veja outras notícias